O Sofá Vermelho – Aterciopelado

Quando somos jovens, acreditamos  que o mundo começou conosco, mas a realidade é que antes haviam esforços e iniciativas que buscavam o mesmo: fazer algo melhor. Sem arrogância, porque é disso que se trata, é possível fazer melhor, de acordo com os tempos e os saberes acumulados.

É assim que o INIA (Instituto de Investigação Agronómica) de Cauquenes desenvolve na sua “Quinta Experimental” vinhos que se relacionam com a sua área, como por exemplo, o Asoleado Tinto, uma denominação do Secano Seco Interior entre o Rio Mataquito e o Biobío; ou o Molco Blanco, de uma vila situada entre Cauquenes e Chanco, que dá nome a um vinho feito a partir de uma mistura de castas brancas. Ou o Tapihue, feito com uvas semillon e ovoide branca vinificadas em varietais.

No entanto, o vinho mais lembrado e amplamente divulgado foi o vinho Terciopelo, marca registada no INAPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial), através do qual se concretizou a ideia de fazer um vinho de uva País melhor do que se produzia à época ou ao menos diferente, mais macio e redondo. Mais moderno? Resumindo, um país nas Terras Secas do Interior de Maule com 25% a 30% de Malbec. Taninos doces, frutas vermelhas e notas de violeta lhe dariam um caráter mais próximo do nobre à rústica País.

A uva País, por tanto tempo olhada com desdém, mostrou-nos que não precisamos perseguir um estilo internacional, querer fazer algo como em Bordeaux, por exemplo.

Nós, enólogos estrangeiros, sempre conhecemos a nobreza vitícola (resistente à seca e vigorosa) das suas vinhas velhas, mas diria que nos últimos 10 anos aceitamos e compreendemos que elas podem dar vinhos únicos, muito fáceis de beber e, mais importante, com um sentido de origem que é escasso em nosso país. Quase podemos dizer que a País é uma uva chilena. Com o tempo entendemos e reconhecemos suas virtudes e não pedimos elegância ou complexidade.

Foi neste quadro que, há oito anos, Viña Morandé iniciou o percurso de fazer um vinho em homenagem àquele velho Terciopelo de Cauquenes. As vinhas de País são podadas em cabeça (goubelet) há mais de 80 anos na nossa vinha situada nos austeros solos graníticos do Secano Interior Seco de Melozal. As suas uvas são a base do nosso Aterciopelado, ao qual se complementa com 20% de suave e delicada “tapeçaria” tinta de Malbec com mais de 60 anos, da vinha La Constancia.

Apreciamos os vinhos simples e genuínos que nos chegam ao longo do tempo graças às ideias e esforços de instituições e agricultores do Secano Interior do Maule, valorizando-os na sua essência, sem exigir mais gentileza do que aquela que nos dão.

Ricardo Baettig

Enólogo Viña Morandé

Tags:
, ,

FOR FURTHER INFORMATION, PLEASE CONTACT ME HERE

Subscribe to our adventures…

    Translate »