Os tintos de Morandé Adventure

Os tintos de Morandé Adventure

Como vocês já devem saber, tenho a honra de liderar a linha Morandé Adventure há mais de 10 anos. Juntamente com a equipe de enologia da Viña Morandé, criámos um portfólio que é o resultado de um grande trabalho experimental, onde cada um de nós transmitiu toda a sua personalidade e estilo.

São vinhos lúdicos, feitos sem regras, verdadeiras aventuras enológicas que procuram surpreender pela sua diversidade, inovação e qualidade. Uma linha de vinhos com os quais tentamos reinterpretar a herança vitivinícola chilena, com castas não tradicionais e métodos inovadores de vinificação e envelhecimento.

A linha Adventure é composta por 10 vinhos, mas desta vez quero falar dos vinhos tintos. Em primeiro lugar, o Aterciopelado, que é um vinho que homenageia o antigo Terciopelo Cauqueno ao resgatar a cepa País, variedade rústica, típica do interior do Chile, tradicionalmente utilizada para a produção de vinhos comuns. Aterciopelado procura levar a casta a uma expressão de maior elegância, equilíbrio e corpo, mostrando o grande potencial que tem para a criação de vinhos de maior complexidade. É um vinho que se destaca pelo seu caráter único, jovem, com aromas frescos e frutados.

Creole, por sua vez, é um vinho produzido com as castas Cinsault e País, duas variedades fortemente enraizadas na cultura e tradição do sul do Chile, provenientes de vinhas velhas do Interior Secano de Itata e Maule. Para nós, Creole é o reflexo e fiel representante do campo chileno. É um vinho intensamente frutado, fresco e de estrutura delicada.

Gran Petit, o pequeno gigante do nosso portfólio, representa a aposta da Viña Morandé em duas variedades pouco exploradas, mas com grande potencial: Petite Sirah e Petit Verdot, que hoje encontram o seu esplendor na vinha La Moralina, no vale de Cachapoal. É um vinho suculento, de estrutura abundante e generosa, com taninos aveludados, macios e redondos.

Da mesma forma, Antiguas Raíces faz parte do nosso portfólio Adventure. É um vinho à base de Garnacha que incorpora também castas como Syrah, Carignan, Marsanne e Rousanne, e nasce do interesse em reinterpretar castas mediterrânicas no Vale do Maule, através da co-fermentação de cepas tintas e brancas para criar um blend com uma personalidade muito clara: um vinho eminentemente frutado, com presença marcante de frutos vermelhos, grande acidez e frescura.

Tirazis é um vinho de grande elegância e complexidade que procura mostrar o grande potencial que a variedade Syrah pode atingir em zonas de clima frio. Apresenta corpo médio e grande persistência, com bom equilíbrio entre acidez e taninos. Colinas de Ránquil, por sua vez, é um vinho de casta País que contribui para decifrar os extraordinários terroirs presentes no Chile, resgatando cepas patrimoniais, criando assim vinhos únicos e com profundo sentido de origem. É um vinho elegante, de grande estrutura, com taninos bem definidos.

El Padre é um vinho com o qual queremos homenagear a castaCabernet Franc – o pai de ninguém menos que a emblemática Cabernet Sauvignon. Com este vinho o que procuramos é demonstrar o seu grande potencial através de um vinho complexo, com grande estrutura e elegância, que mostra todo o caráter desta casta.

Por fim, VIGNO é o vinho que representa uma das iniciativas mais relevantes da indústria vitivinícola chilena e da qual somos sócios fundadores. Este vinho, um Carignan que incorpora um pouco de Syrah, reflete uma pequena jóia que se escondeu no vale do Maule, num terroir que representa a conjunção perfeita entre a tradição do campo chileno e a Carignan, uma casta mediterrânica que renasce no Maule para mostrar seu caráter único. É um vinho poderoso, com notas de frutos vermelhos e flores, estrutura jovem e tensa, com grande persistência.

Translate »