Vindima 2022: mirando no momento certo

Já estamos sentindo a brisa de uma nova safra, aproxima-se rapidamente o início desta safra de 2022, que vem sendo marcada por um inverno com poucas chuvas. A primavera, dentro dos parâmetros normais, teve tendência a temperaturas abaixo da média, pelo que a frutificação, floração e pintor foram processos longos e, em geral, levaram a uma queda no enchimento dos cachos, ou seja, cachos mais leves e, portanto, o resultado disso será uma menor produção de uvas por hectare, acreditamos que em torno de 10%.

Nos vales costeiros, assim como em Malleco, as geadas de outubro certamente afetaram a produção – um ligeiro decréscimo- em Casablanca e mais notável em Malleco.

O verão vinha acumulando temperatura de forma constante e lenta, marcando uma tendência de um ano bastante frio, porém, as duas primeiras semanas de fevereiro apresentaram fortes ondas de calor, com temperaturas acima de 35°C, que associadas à escassez de água, configuram um cenário de safra, embora não previsto, bastante curto e de janela temporal mais curta.

Casablanca: Em nossos campos de Belén e El Principal, graças à irrigação de inverno, começamos a brotar com boa umidade do solo, o que nos permite esperar uma colheita normal em termos de data e quantidade. As geadas foram controladas sem maiores problemas pelo sistema de aspersão para gemas e brotos. Esperamos uma produção um pouco abaixo do previsto, mas no geral muito boa.

Maipo: Tanto para os nossos vinhedos San Bernardo quanto para Romeral, é um ano de baixo acúmulo tpermico, ou seja, poderíamos considerá-lo de normal a frio, porém, a falta de chuvas fez com que a maturidade atingisse o nível de um ano normal. Produção média em queda.

Maule: Baixa precipitação de inverno e boa produção de uvas, mas com deslocamento dos cachos, ou seja, nem todos os cachos estão “cheios” de uvas, portanto, pesam menos do que a média esperada.

A segunda quinzena de fevereiro e a primeira de março serão fundamentais para determinar com exatidão se o ano será bastante quente, com o consequente aumento do álcool desses vinhos ou se prevalecerão temperaturas moderadas que nos levarão a vinhos de maior sutileza.

Itata: espera-se um bom ano, as chuvas de inverno, embora não abundantes, foram suficientes para sustentar uma produção muito boa este ano. Para obter a qualidade desejada, nos utilizamos do raleio, ajustando a carga para quealcancem maturação ideal.

Malleco: Ano fortemente influenciado pelas geadas de outubro, que afetaram fortemente a produção das uvas Chardonnay e Pinot Noir. Será uma colheita pequena, mas aparentemente de muito boa qualidade.

Desta forma, as particularidades de cada área, campo e vinhedo marcarão as diferenças de qualidade. Este ano será essencial estar atento ao momento exato da colheita, pois a janela ideal será muito estreita e nos obrigará a trabalhar com atenção especial e assim conseguir uma ótima safra para nossos vinhos.

Si te interesa saber más, pregunta AQUÍ

Suscríbete a nuestras aventuras…

    Translate »