Malleco, A última fronteira dos sonhos!

A mudança climática que está afetando o mundo, inclusive nosso país, é um fato que atualmente ninguém duvida. Em nosso Vale Central as chuvas diminuíram, enquanto o clima costeiro está ficando mais frio e seco. E embora a precipitação média não tenha variado tanto quanto se poderia pensar, a frequência e a intensidade dos eventos sim.

Dito isso, não é surpresa que o Chile agora esteja produzindo vinhos em locais do sul que nunca imaginamos antes. Em primeiro lugar, foi Mulchén, na região de Biobío, a que se juntou depois Traiguén em Malleco. Hoje essas experiências chegam até Osorno e Chiloé.

A diminuição das chuvas, principalmente no verão e o aumento relativo da temperatura, possibilitam a realização de alguns sonhos. E eu tive um sonho. Minha família paterna é de Traiguén, um pequeno povoado da Região de Araucanía, onde possuíam uma fazenda chamada La Viña (O Vinhedo).

Isso porque ali crescia uma vinha e se fazia vinho. Pelo que meu pai me disse, era um vinho branco, de baixo teor alcoólico e de qualidade duvidosa. Nunca conheci a variedade, mas certamente não era ruim, se tios e outros parentes não achavam tão ruim assim. Aliás, lembro que era comum vê-los colhendo trigo com chuica (vasilhame de 15 litros) como companhia durante os longos dias de debulha de verão. E mais de uma vez a debulhadora teve que ser buscada no meio do campo porque seu cocheiro havia adormecido com os efeitos do vinho …

O clima chuvoso do sul do Chile, que é mais moderado em Traiguén devido à sombra de chuva gerada pela Cordilheira Nahuelbuta, e seus solos de argila vermelha e vulcânica, sempre foram tremendamente atraentes para mim. Estas condições intrigaram-me e fizeram-me pensar na qualidade que se poderia obter num vinho cultivado na zona.

Muito vinho passou por baixo da ponte desde a primeira vez que sonhei fazer um vinho em Traiguén. Mas com a safra de 2020, esse sonho se tornou realidade. Ser capaz de vinificar as uvas Chardonnay e Pinot Noir que meu irmão e um amigo plantaram na propriedade do meu primo significou um desafio emocionante. E também, diga-se, uma grande responsabilidade.

Acabamos de engarrafar os dois vinhos, que, com razão, farão parte da nossa linha de Edição Limitada. Na área, as vinhas crescem muito lentamente e parecem mais jovens do que os 10 anos que têm. O número de cachos por planta tem que ser muito limitado, pois, com uma carga considerada normal na Zona Central do Chile, as uvas não poderiam amadurecer ali.

Os resultados são extraordinários (um sonho!). A finesse e tipicidade únicas que os vinhos mostram, superam em muito o esforço. As pessoas dizem que é preciso ter cuidado com os sonhos, porque às vezes eles se realizam … e verdade seja dita, este é um que eu gostaria de compartilhar com meu pai, talvez um pioneiro sem saber. Eu também gostaria de ouvir suas histórias sobre o vinhedo antigo e brindar à nova geração de vinhos da região. E a Viña Morandé e a sua incansável busca de terroir para obter vinhos de sonho, permitindo-me assim cumprir um dos meus.

Ricardo Baettig

Enólogo Viña Morandé

Tags:
, ,

Si te interesa saber más, pregunta AQUÍ

Suscríbete a nuestras aventuras…

    Translate »