Ucúquer – Jogando até o Limite

Em breve comemoraremos 40 anos desde que Pablo Morandé se lançou, em 1982, em uma cruzada que mudaria radicalmente o cenário vitivinícola chileno. Naquele ano ele plantou pela primeira vez comercialmente vinhedos em uma área costeira chilena, especificamente no Vale de Casablanca. A sua visão foi a de um espírito inquieto e curioso, o que, associado a uma vontade incessante, permitiu abrir o vasto leque da diversidade dos vinhos do nosso país.

Essa aventura possibilitou que outros vinicultores também procurassem vales costeiros influenciados pelo Oceano Pacífico. A Cordilheira da Costa, mais antiga que a dos Andes (200 milhões de anos contra 20 milhões), é mais erodida, é mais baixa e, portanto, permite que o vento costeiro penetre do mar. Esse padrão característico de manhãs nubladas, que mantém o ambiente fresco até o meio-dia, é conhecido principalmente pelos veranistas do litoral central. Geologicamente é caracterizada por suas rochas graníticas e, em menor grau, metamórficas (ardósia), além de veios calcários.

Fiéis a este espírito inquieto, continuamos a explorar diferentes origens, razão pela qual trabalhamos atualmente com vinhas desde Malleco a Limarí. Uma das áreas que nos chamou a atenção nos últimos anos é o litoral norte de Colchagua, não muito longe da foz do rio Rapel. Ucúquer fica a 40 km do mar, que possui um clima seco com certa influência marinha. É um caminho intermediário entre o litoral e a Zona Central, que permite o cultivo de castas brancas de ciclo longo, mas também de castas tintas de ciclo curto, que apresentam perfis muito diferentes daqueles a que estão habituados o Maipo ou o Maule. É uma ótima alternativa para a produção de tintos frescos, verticais, com expressão de frutas vermelhas e boa maturação.

A experiência diz-nos que são vinhos “tensos”, ou seja, com taninos agudos, que requerem e beneficiam de um longo estágio em barricas e foudres antes de chegarem aos mercados. O outro lado da medalha é o desafio de transformar esta estrutura, que no início é um pouco “áspera”, em vinhos longos, concentrados e frescos ao mesmo tempo.

No terroir de Ucúquer escolhemos duas variedades clássicas para o blend: Syrah e Cabernet Franc. O clima aí é bastante frio, pelo que tais condições obrigam a videira a produzir naturalmente poucos cachos e a concentrar-se na sua maturação. Os solos graníticos proporcionam-nos taninos finos mais abundantes, que após 18 a 22 meses de envelhecimento, e mais um ano em garrafa, dão origem a vinhos com características únicas, que se sentem jovens e portanto com grande potencial de envelhecimento.

Ucúquer, nome curioso para um curioso apelo nos limites da serra costeira de Rapel.

Ricardo Baettig

Enóloga Viña Morandé

Si te interesa saber más, pregunta AQUÍ

Suscríbete a nuestras aventuras…

    Translate »